Filtros na fotografia digital – Parte 1

Na era da fotografia digital e do pós-processamento, quais os principais filtros a utilizar para os mais diversos fins? Um ensaio sobre filtros UV, Skylight, Polarizador e de Densidade Neutra. Ao detalhe, com  conselhos práticos e recomendações, o derradeiro artigo sobre filtros na era digital:

  • Parte 1 – Filtro UV e Skylight
  • Parte 2 – Filtro Polarizador Circular
  • Parte 3 – Filtro de Densidade Neutra

 

“Os filtros são úteis. Ou inúteis. Apenas depende da finalidade para a qual os está a usar.” Tom Hogan

Esta sentença resume bem a abordagem ao uso de filtros que o leitor conhecerá nesta série de artigos. Então o que se passa afinal no mundo dos filtros na era digital? Quando se deve utilizar certo tipo de filtros, quais os efeitos e as possibilidades? Qual o filtro a usar para protecção das lentes?

Parque Natural do SW Alentejano e Costa Vicentina. O uso de filtros pode ajudar a controlar a gama dinâmica em situações de elevado contraste, mantendo os tons naturais da cena

Uma regra que estabeleci na minha fotografia é: quanto menos vidro colocar à frente do vidro de lentes, melhor. Ou então coloco à frente bom vidro também. Na era digital de fotografia, o uso de filtros para correcção de dominantes do cor, equilíbrio de tons, e resumidamente todos aqueles que não interferem no efeito estético da composição – tal como controle de velocidade de obturação ou polarização – sofreram um decréscimo de utilização.

 

Parte 1

UV/Skylight

Apesar de não ser visível ao olho humano, o sensor digital, ou a película na máquina fotográfica são muito sensíveis à radiação Ultra-Violeta, responsável por dominantes de cor azulada em fotografia feita com luz Solar no exterior, ou perda de alguma definição por existência de neblina distante, frequente em cenários de montanha.

Embora a quantidade de radiação UV existente na atmosfera seja pequena relativamente ao espectro de luz visível, em cenários de neve, areia clara e água (paisagens com mar, lagoas, rios), deve ser utilizada filtragem UV, pois estes elementos reflectem intensamente raios nesta gama de radiação, por vezes com resultados que podem ser indesejáveis na fotografia.

Um bom filtro UV deve ser transparente à luz visível, e partindo deste princípio, poderá ser utilizado na maioria das suas fotografias, motivo pelo qual, aliado a um custo relativamente baixo, é utilizado normalmente como filtro protector de lentes.

O filtro Skylight é uma versão “colorida” do filtro UV, pois apesar de filtrar essa radiação, é geralmente dotado de uma pequena coloração rosa ou amarela para proporcionar tons ligeiramente mais quentes, cortando algum excesso de azul tendencialmente mais forte no céu.

Mantos de Neblina
"Mantos de Neblina", Serra da Estrela. Paisagens de montanha com as dominantes azuladas da neblina ao entardecer

Considerações sobre estes filtros:

  • Não alteram a exposição;
  • Possibilitam o controle de tons azuis do céu;
  • Filtram raios UV mas toda a luz visível deve passar;
  • Certos fabricantes de filme defendem que película mais moderna não é sensível à luz ultravioleta;
  • Filtros devem ser revestidos (‘multicoated’) para prevenção de reflexos e melhoria de contraste e definição, sobretudo na presença de fonte de luz forte ou em contra-luz (exemplo: frente ao Pôr-do-Sol);
  • Recomendados filtros de pequena espessura (3mm, exemplo Hoya Pro1D), sobretudo em objectivas ultra grande-angulares.

Leave a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *